Transubstanciação

Transubstanciação

No dia 11 de outubro de 1551 na décima terceira sessão do Concílio de Trento, sob o Papa Júlio Terceiro, a Igreja de Roma publicou o seu decreto sobre a Eucaristia, definindo o chamado “Presença Real” – ou para usar outro dos termos que é usado para esta blasfêmia – Transubstanciação.

Sob o título – “Cânones sobre o Santíssimo Sacramento da Eucaristia”, lemos: “Se alguém negar no Santissimo Sacramento da Eucaristia está contida verdadeira, real e substancialmente o corpo e o sangue juntamente como alma e divindade de Nosso Senhor Jesus Cristo, e por conseguinte o Cristo todo, e disser que somente está  nele como sinal, figura ou virtude – seja excomungado.”

No dicionário online de português dá o significado de “excomungado”:

Maldito, segregado (falando-se de alguém ou de alguma coisa com desprezo ou cólera).
Pessoa que sofreu pena de excomunhão.
Uma das designações do diabo.

Os reformadores mártires falaram nos seus ultimos momentos contra esta fraude religiosa: um deus de bolacha. A Igreja de Roma, no entanto, amaldiçoou aqueles que se recusaram a aceitar essa magia negra, que é anti-bíblica e não científica. (O Concílio sob Júlio Terceiro lançou 125 maldições contra aqueles que discordavam com o Papa.) Pouco mais de quatro anos após o Concílio de Trento, o decreto de Roma foi publicado amaldiçoando e entregando aos poderes seculares alguns homens dos mais piedosos na Inglaterra, para ser queimado na fogueira por heresia. Ouça a acusação contra eles: “Nós fazemos manifesto que Nicholas Ridley e Hugh Latimer nesta universidade elevada de Oxford, no ano de 1554, afirmaram, abertamente defendida e mantida em muitos outros lugares, além daqui, que o corpo verdadeiro e natural de Cristo, após a consagração do padre não está realmente presente no sacramento do altar e que  obstinadamente afirmavam que na missa não há nenhum sacrifício propiciatório para os vivos nem os mortos. Que  estas afirmações dos referidos solenemente haviam sido condenadas pela censura escolástica desta escola. etc. etc. “Estes homens, Nicholas Ridley, Bispo de Londres e Hugh Latimer, Bispo de Worchester permaneceram fiéis até o fim. Quando o fogo começou a queimar, o Bispo Latimer gritou”Tende bom ânimo, Mestre Ridley, e seja homem:. Devemos hoje, tal luz como uma vela pela graça de Deus na Inglaterra, que acredito que jamais se apagará”

Em Apocalipse capítulo 17, temos a descrição da falsa Igreja de Roma. Nos versículos 4 a 6, lemos: “E a mulher estava vestida de púrpura e de escarlata, e adornada com ouro e pedras preciosas e pérolas e tinha na sua mão um cálice de ouro na mão cheio das abominações e da imundícia da sua fornicação.  E na sua testa estava escrito o nome, Mistério, a grande Babilonia, a mãe  das prostituições e  abominações da terra.   E vi que a mulher estava embriagada do sangue dos santos, e do sangue dos testemunhas de Jesus. E vendo-a eu, maravilhei-me com grande admiração. “

 

A definição do termo transubstanciação no “Dicionário The Modern Católica” pelo jesuíta John A. Hardon é a seguinte: “A mudança completa da substância do pão e do vinho na substância do Corpo e Sangue de Cristo por um sacerdote ordenado verdadeiramente durante a consagração da missa. “

Para explicar a missa romana “O Catecismo da Igreja Católica” usa as palavras de Cristo, como registradas no evangelho de João capítulo 6 versículo 53 “Jesus, pois, lhes disse: Na verdade, na verdade, vos digo: se não comerdes a carne do Filho do Homem e não beberdes o seu sangue, não tereis vida em vós mesmos. “Mas o Catecismo Romano não apresenta essa Escritura em seu próprio contexto. Lemos nos versículos 60 a 63 do mesmo capítulo “Muitos, pois, dos seus discípulos, ouvindo isto, disseram: Duro é este discurso: quem o pode ouvir? Sabendo, pois Jesus em si mesmo que os seus discípulos murmuravam disto, disse-lhes: Isto escandaliza-vos ?  Que seria, pois, se vísseis subir o Filho do homem para onde primeiro estava?  O espírito é o que vivifica, a carne para nada aproveita;  as palavras que eu vos digo são espiríto e vida.” Anote que nosso Senhor disse em vigor – Se você acha que é difícil comer a minha carne e beber o meu sangue agora quando eu estou aqui com você, pense quanto mais difícil será para você comer literalmente a minha carne e beber literalmente o meu sangue quando estou à direita de meu Pai no Céu. Não! Ele diz, em efeito, “A carne para nada aproveita” – Eu não estou falando de minha carne literalmente  e o meu sangue literalmente  – ” As palavras que eu vos digo são espiríto e vida.” – você deve entender isso de uma maneira espiritual .

É claro que o nosso Senhor usou um sinal ou uma figura que o Concílio de Trento teria nos amaldiçoado por acreditar quando disse: ” Se não comerdes a carne do Filho do Homem e não beberdes o seu sangue, não tereis vida em vós mesmos. João 6:53. Foi nosso Senhor transubstanciado em uma porta literal? Ele disse: “Eu sou a porta” João 10:9. Ou em uma videira? Ele disse: “Eu sou a videira verdadeira” João 15:1 Observe também lemos:. “Estes grandes animais que são quatro, são quatro reis” Daniel 7:17 “E quanto aos dez chifres, daquele mesmo reino se levantará dez reis.” Daniel 7:24.”. “As sete vacas …são sete anos” Gênesis 41:26.

Hugh Latimer, o mártir foi um grande pregador. Ele pregou de uma forma simples e direta. Ele nunca teve medo de denunciar o que ele sabia que estava errado e sempre se esforçou para manter Cristo e Ele crucificado como a única esperança do pecador. Em certa ocasião o bom Bispo Latimer estava pregando em Cambridge e tinha dito que todos deveriam ser permitidos a  ler a Bíblia em sua própria língua. Os monges e frades não gostaram disso tudo e eles planejaram nomear um dos seus próprios campeões para responder a Latimer. Então num certo domingo, Frei Buckingham pregou contra a leitura da Bíblia diante de uma grande congregação. “Ele disse à sua audiência que, se todo mundo lesse a Bíblia seriam as pessoas andando sem os olhos – porque diz a Escritura: “. “Se teu olho te escandalizar arranca-o” E se todo mundo lesse a Bíblia, os padeiros não colocariam fermento suficiente em seu pão, porque diz na Bíblia: “Um pouco de fermento, leveda toda a massa” e assim por diante. No próximo domingo Latimer pregou novamente e deixou expostos os argumentos ridículos de Frei Buckingham que estava presente e sentou-se imediatamente na frente do púlpito. “Apenas as crianças e os tolos”, disse Latimer, “não conseguem distinguir entre o figurativo e os verdadeiros significados da linguagem. Entre a imagem que é usada e as coisas que aquela imagem pretende representar” Por exemplo , continuou ele, olhando para o Frei “Se eu pintar uma raposa em roupa de um frade, ninguém imagina que significa uma raposa mas sim estulticia e hipocrisia que sao disfarcados nesta roupa.

Se de acordo com Roma, Cristo realmente transformou o vinho em seu sangue e bebeu dele mesmo e ordenou a seus discípulos a beberem também – Ele pecou! Beber sangue é estritamente proibido nas Escrituras do Antigo e Novo Testamentos. “A carne com a sua vida isto é com o seu sangue não comereis.” Gênesis 9:4. “Por isso julgo que não deve perturbar aqueles, dentre os gentios que se convertem a Deus. Mas escrever-lhes que se abstenham das contaminações dos ídolos, da fornicação, do que é sufocado e do sangue” Atos 15:19,20.

Claro, nosso Senhor não pecou. Ele é O Santo e O Justo. Atos 3:14. Mas Roma tem pecado em seu ensino da grande fraude e blasfemia da transubstanciação.

 

Rev. Donald F. Maconaghie