Esta é minha história

Esta é minha história

Que grande alívio e paz celestial vieram em minha alma quando Cristo me encontrou, um pecador perdido. Aqui é a minha história:

Nasci de pais católicos em Wolseley, Saskatchewan, e fui criado estritamente na fé católica romana. Desde muito jovem eu tentava ser bom, más caindo progressivamente em pecado. Junto com o resto da multidão que se dirigia para a perdição, me disseram que por se tornar um monge e padre, eu poderia evitar o pecado e ter mais certeza da minha salvação. Porque eu estava sinceramente buscando salvação, entrei na Ordem Basília de monges.  Recebei o manto preto longo e um nome monástico adotado de “São Hilarion, o Grande” e fiz os meus votos. Como um monge aluno, eu foi chamado de “Irmão Hilarion”, e depois da ordenação “Padre Hilarion”.

Como eu estava ansioso para servir ao Senhor Jesus Cristo!  Por viver a vida monástica, eu pensei que estava O servindo.  Eu fiz todas as minhas obrigações monásticas.  Toda quarta-feira e sexta-feira eu me chicotei, muitas vezes até sangrei.  Em penitência muitas vezes eu beijei o chão.  Frequentemente comi a minha comida ajoelhado no chão, ou me privei totalmente da comida.  Eu fiz porque estava buscando a salvação.  Eu fui ensinado que poderia ganhar o Céu através destas obras.  Mas não sabia que a Palavra de Deus diz: “Por que pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus.” (Efésios 2.8,9)

Depois de muitos anos de estudos e trabalho no mosteiro, fui ordenado padre.  Eu servi em cinco paróquias em Lamont, Alberta, fiz missa todo dia, ouvi confissões, rezei o terço á Maria, fiz tempo devocional para muitos santos, fiz muitas orações todo dia, e fiz penitência mais ferventemente do que nunca.  Mas tudo isto não satisfez a minha alma cansada.  Eu estava ficando mais angustiado em minha alma do que quando era menino.  Mas Cristo estava me vendo e me esperando.

Nos estudos para se tornar padre, tínhamos três livros textos sobre a Bíblia, mas não estudamos a Bíblia.  Depois de ser ordenado padre, eu conhecia a versão católica da Bíblia.  Comecei a ver os versículos impressionantes que eram contrários às minhas crenças e práticas.  O Livro de Deus disse uma coisa e a minha igreja outra coisa.  Quem estava certo, a Igreja Romana ou Deus?  Depois de um tempo preferi crer na Palavra de Deus.

A vida monástica e os sacramentos prescritos pela Igreja Católica Romana não me ajudaram a vir conhecer a Cristo pessoalmente e encontrar a salvação. Depois de 12 anos e meio de tempo eu escapei do mosteiro, um pecador perdido, sem paz na minha alma. Em mim ainda era a velha natureza do “homem velho”. Eu precisava de uma nova natureza, um novo coração, “…como está a verdade em Jesus; Que, quanto ao trato passado, vos despojeis do velho homem, que se corrompe pelas concupiscências do engano; E vos renoveis no espírito da vossa mente;  E vos revistais do novo homem, que segundo Deus é criado em verdadeira justiça e santidade.” (Efésios 4:21-24). Isso só pode acontecer por nascer de novo do Espírito de Deus, somente pela fé em Jesus Cristo, e não por orações monótonas repetidas e penitências, sacrifícios e boas obras. “Aquele que não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus” (João 3:3). “Crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo” (Atos 16:31).

Eu percebi que os sacramentos feitos por homens da minha igreja e minhas boas obras foram em vão para a salvação. Eles levaram a uma falsa segurança. Logo depois, eu acreditava que Cristo morreu por mim e que eu não podia salvar minha alma, eu confiava só nEle para a minha salvação. Quando me arrependi dos meus pecados e entreguei a minha vida, acreditando que na cruz, Ele pagou a penalidade completa para minha condenação, eu sabia que meus pecados não foram apenas perdoados, mas esquecidos, e que eu estava justificado diante de Deus. “Todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus” (Romanos 3.23). “O salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus nosso Senhor” (Romanos 6.23). O sangue de Cristo me purificou de todos os meus pecados. “O sangue de Jesus Cristo seu Filho, nos purifica de todo pecado” (1 João 1:7). E agora eu tenho paz com Deus. “Sendo pois justificados pela fé, temos paz com Deus por nosso Senhor Jesus Cristo.” (Romanos 5:1)

Até que enfim eu encontrei a salvação plena e livre por meio de Jesus Cristo que morreu para que você e eu pudéssemos viver.

Amigo, se você também está tentando alcançar o Céu pelo seu próprio esforço, posso lhe dizer que “não vem das obras, para que ninguém se glorie”. O céu é infinito e não pode ser conquistado. Nós somos finitos e pecadores. Cristo é o caminho e a resposta. “Há um só Deus e um só Mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo homem que deu a si mesmo em resgate por todos” (1 Timóteo 2:5,6). Venha a Ele agora, assim como você é.  Arrependa – se dos seus pecados. Peça o Seu perdão e receba Jesus como seu Senhor e Salvador. Comece a confiar Nele para o seu bem-estar eterno porque Ele comprou a salvação para você. Ele lhe chama: “Vinde a mim todos que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei” (Mateus 11:28).

Então, você também pode se alegrar comigo em conhecer nosso novo amigo e Salvador, o Cristo vivo!

Por Monge e Padre Convertido

Henry Gregory Adams