38. Últimos Ritos

Últimos Ritos

Catolicismo ensina

Como todos os sacramentos, a Unção dos Enfermos é uma celebração litúrgica e comunitária, quer tenha lugar na família, no hospital ou na Igreja, para um só enfermo ou para todo um grupo de enfermos.  É de todo conveniente que ela se celebre dentro da Eucaristia, memorial da Páscoa do Senhor.  Se as circunstâncias o permitirem, a celebração do sacramento pode ser precedida pelo sacramento da Penitência e seguida pelo sacramento da Eucaristia.  Como sacramento da Páscoa de Cristo, a Eucaristia deveria sempre ser o último sacramento da peregrinação terrestre, o `viático´para a `passagem´a vida eterna.  P. 416-417, #1517

Uma preparação para a última passagem.  Se o sacramento da Unção dos Enfermos é concedido a todos os que sofrem de doenças e enfermidades graves, com mais razão ainda cabe aos que estão às portas da morte (`in exitu vitae constituti´).  Por isso, também foi chamado `sacramentum exeuntium´.  A Unção dos Enfermos completa nossa conformação com a Morte e Ressurreição de Cristo, como o Batismo começou a fazê-lo.  É o termo das sagradas unções que acompanham toda a vida cristã: a do Batismo, que selou em nós a nova vida; a da confirmação, que nos fortificou para o combate desta vida.  Esta derradeira unção fortalece o fim de nossa vida terrestre como que de um sólido baluarte para enfrentar as últimas lutas antes da entrada na casa do Pai.  P. 418, # 1523

Só os sacerdotes (bispos e presbíteros) são ministros da Unção dos Enfermos.  É dever dos pastores instruir os fiéis sobre os benefícios deste sacramento.  Que os fiéis incentivem os doentes a chamar o sacerdote, para receber este sacramento.  Que os doentes se preparem para recebê-lo com boas disposições, com a ajuda de seu pastor e de toda a comunidade eclesial, que é convidada a cercar de modo especial os doentes com suas orações e atenções fraternas.  P. 416, #1516

Aos que estão para deixar esta vida, a Igreja oferece, além da Unção dos Enfermos, a Eucaristia como viático.  Recebida neste momento de passagem para o Pai, a comunhão do Corpo e Sangue de Cristo tem significado e importância particulares.  É semente de vida eterna e poder de ressurreição, segundo as palavras do Senhor:  `Quem come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna, e eu o ressuscitarei no último dia´(Jo 6,54).  Sacramento de Cristo morto e ressuscitado, a Eucaristia é aqui sacramento da passagem da morte para a vida, deste mundo para o Pai.  P. 418, #1524

Se um enfermo que recebeu a Unção dos Enfermos recobrar a saúde, pode, em caso de recair em doença grave, receber de novo este sacramento. No decorrer da mesma enfermidade, este sacramento pode ser reiterado se a doença se agravar.  Permite-se receber a Unção dos Enfermos antes de uma cirugia de alto risco.  O mesmo vale também para as pessoas de idade avançada, cuja fragilidade se acentua.

`Que se chame os presbíteros da Igreja´

As Escrituras ensinam

Filipenses 3.8,9

8. E,  na verdade, tenho também por perda todas as coisas, pela excelência do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor; pelo qual sofri a perda de todas estas coisas, e as considero como escória, para que possa ganhar a Cristo,

9.  E seja achado nele, não tendo a minha justiça que vem da lei, mas a que vem pela fé em Cristo, a saber, a justiça que vem de Deus pela fé.

2 Timóteo 4.6,7

6.  Porque eu já estou sendo oferecido por aspersão de sacrifício, e o tempo da minha partida está próximo.

7.  Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé.

Mateus 15.9

Mas, em vão me adoram ensinando doutrinas que são preceitos dos homens.

Comentários

  • Esta doutrina católica nunca foi pregada (ensinada) na Bíblia.
  • Esta doutrina católica nunca foi praticada na Bíblia.
  • Você vai viver no pecado com esperança que o padre pode lhe resgatar da mão do Diabo através desta prática anti-bíblica?
  • Ou você se renderá a Jesus agora?