29. Confessando Pecados a Um Sacerdote

Confessando Pecados a Um Sacerdote

Catolicismo ensina

Aquele que quiser obter a reconciliação com Deus e com a Igreja deve confessar ao sacerdote todos os pecados graves que ainda não confessou e de que se lembra depois de examinar cuidadosamente sua consciência.  Mesmo sem ser necessária em si a confissão das faltas veniais, a Igreja não deixa de recomendá-la vivamente.  P. 411, # 1493

A declaração dos pecados ao sacerdote constitui uma parte essencial do sacramento da penitência:  `Os penitentes devem, na confissão, enumerar todos os pecados mortais de que têm consciência depois de examinar-se seriamente, mesmo que esses pecados sejam muito secretos e tenham sido cometidos somente contra os dois últimos preceitos do decálogo, pois, às vezes, esses pecados ferem gravemente a alma e são mais prejudiciais do que os outros que foram cometidos à vista e conhecimento de todos´.

Quando os cristãos se esforçam para confessar todos os pecados que lhes vêm à memória, não se pode duvidar que tenham o intuito de apresentá-los todos ao perdão da misericórdia divina.  Os que agem de outra forma, tentando ocultar conscientemente alguns pecados, não colocam diante da bondade divina nada que ela possa perdoar por intermédio do sacerdote.  Pois, `se o doente tem vergonha de mostrar sua ferida ao médico, a medicina não pode curar aquilo que ignora´. P. 401 #1456

Cristo instituiu o sacramento da Penitência para todos os membros pecadores de sua Igreja, antes de tudo para aqueles que, depois do Batismo, cometeram pecado grave e com isso perderam a graça batismal e feriram a comunhão eclesial.  É a eles que o sacramento da Penitência oferece uma nova possibilidade de converter-se e de recobrar a graça da justificação.  Os Padres da Igreja apresentam este sacramento como `segunda tábua (de salvação) depois do naufrágio que é a perda da graça´.  P. 398 # 1446

Conforme o mandamento da Igreja, `todo fiel, depois de ter chegado à idade da discrição, é obrigado a confessar seus pecados graves, dos quais tem consciência, pelo menos uma vez por ano´.  Aquele que tem consciência de ter cometido um pecado mortal não deve receber a Sagrada Comunhão, mesmo que esteja profundamente contrito, se receber previamente a absolvição sacramental, a menos que tenha um motivo grave para comungar e lhe seja impossível chegar a um confessor.  As crianças devem confessar-se antes de receber a Primeira Eucaristia. P. 401 # 1457

As Escrituras ensinam

Salmo 32.5

Confessei-te o meu pecado, e a minha maldade não encobri.  Dizia eu:  Confessarei ao SENHOR as minhas transgressões; e tu perdoaste a maldade do meu pecado. (Selá.)

1 João 1.9

Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça.

Salmo 51.2-3

2. Lava-me completamente da  minha iniquidade, e purifica-me do meu pecado.

3. Porque eu conheço as minhas transgressões, e o meu pecado está sempre diante de mim.

Hebreus 10.19

Tendo, pois, irmãos ousadia para entrar no santuário, pelo sangue de Jesus.

Atos 8.18-22

18.  E Simão, vendo que pela imposição das mãos dos apóstolos era dado o Espírito Santo, lhes ofereceu dinheiro,

19.  Dizendo:  Dai-me também a mim esse poder, para que aquele sobre quem eu puser as mãos receba o Espírito Santo.

20.  Mas disse-lhe Pedro:  o teu dinheiro seja contigo para perdição, pois cuidaste que o dom de Deus se alcança por dinheiro.

21.  Tu não tens parte nem sorte nesta palavra, porque o teu coração não é reto diante de Deus.

22.  Arrepende-te, pois, dessa tua iniquidade, e ora a Deus, para que porventura te seja perdoado o pensamento do teu coração.

Marcos 2.7

Por que diz este assim blasfêmias?  Quem pode perdoar pecados, senão Deus?

1 Timóteo 2.5

Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo homem.

Comentários

  • Você confessará os seus pecados a um homem pecaminoso ou a um Deus Santo?
  • Você vai esperar e entrar num lugar de confissão, ou confessará agora mesmo os seus pecados a Deus?